5 metodologias ativas para inovar as suas aulas

19 de fevereiro de 2020

Postado por Microsoft Educação em Conteúdos Educacionais, Ferramentas Tecnológicas

Novo ano letivo, novas atividades em sala de aula

 

A educação do século XXI está passando por diversas transformações e sendo definida aos poucos, principalmente quando falamos sobre o papel do professor e o desenvolvimento do estudante. É fato que o modelo de aula tradicional, com papel, caneta e quadro-negro, não prende mais a atenção do aluno. A discussão em torno de como envolver e engajar os alunos está sempre aberta entre os professores e a direção da escola.

Uma caraterística desse modelo mais inovador é a personalização de ensino. Muitas vezes isso pode ser encarado como algo muito difícil e distante dos professores, mas a verdade é que existem milhares de práticas diferentes que incentivam o protagonismo do estudante.

Já que o ano letivo acabou de começar, esta é uma ótima hora para você cogitar novas atividades, pensando no desenvolvimento de habilidades superimportantes para seus alunos, como criatividade e trabalho em equipe. Para ajudar nessa missão, convidamos nossos professores MIE Experts para explicar algumas metodologias que eles já realizam em sala de aula para, assim, ajudar seus alunos a adotar uma postura ativa durante o processo de aprendizagem.

 

 

1. Kahoot! para a aula de Língua Inglesa

 

Elaborado pela professora Renata Torres, do Colégio Marista Arquidiocesano de São Paulo

 Nessa aula, a ação fica 80% concentrada no aluno. A função do professor é mediar e organizar os grupos para que a atividade seja feita.

– O professor divide a turma em grupos com, no máximo, quatro alunos.

– O professor propõe um tema, como o uso do present perfect em diferentes situações.

– Os alunos, em seus grupos, pesquisam no material didático e criam questões para a elaboração de um quiz.

– Cada grupo fica responsável por criar quatro questões, a resposta correta e os distratores.

– Em seguida, o professor abre o jogo online no Kahoot! e cria a atividade com as questões criadas pelos alunos. Nesse momento, o professor corrige eventuais erros e insere as questões no jogo.

– O jogo fica disponível online para ser jogado por outra turma na aula seguinte.

Idade ideal para aplicação da atividade: de 9 a 15 anos.

 

 

2. Aprendizagem com mídias sociais

 

Elaborado pela formadora de professores Kamilla Marra

A aprendizagem com mídias sociais é uma tendência educacional que utiliza a comunicação a fim de que os alunos compartilhem conhecimento em colaboração.

– A ideia aqui é criar um blog sobre educação midiática, utilizando o Sway (o Sway faz parte do Office 365, e a Microsoft o disponibiliza gratuitamente para as instituições de ensino registradas no MEC). No blog, os alunos podem produzir conteúdo sobre como a utilização das redes sociais impacta a vida das pessoas. Eles podem produzir vídeos, cartazes e entrevistas.

– O objetivo pedagógico é aumentar o envolvimento e a criatividade dos alunos por meio do uso das mídias sociais, facilitar a comunicação na comunidade escolar e colaborar com ferramentas online que possibilitem aos estudantes trabalhar em um único arquivo.

Idade ideal para aplicação da atividade: de 9 a 15 anos.

 

 

3. Projeto: aqui já é sertão e o sertão é o mundo

 

 Elaborado pelas professoras Gabriela Branco e Taciana Suarez, do Colégio Marista Champagnat

– Embasados pela literatura clássica da obra Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa, as turmas desenvolveram propostas de aprofundamento do estudo da língua/linguagem utilizada pelo autor e das influências artísticas e culturais presentes na região do sertão mineiro (região em que se passa a história).

– Dentro dessa temática, os estudantes foram separados em pequenos grupos e utilizaram o Minecraft: Education Edition para criar seus próprios “sertões”, inspirados pela obra clássica e pelos personagens Riobaldo e Diadorim.

– Cada grupo analisou possibilidades de melhorias para o sertão, por exemplo: como fazer a água chegar ao sertão? Como captar a água da chuva? Como melhorar a alimentação com plantio e irrigação de hortas?

Idade ideal para aplicação da atividade: de 7 a 9 anos.

 

4. Projeto: Hackathon

 

Elaborado pela professora Karen Carvalho, do Colégio Marista São Luís

UmHackathon é, basicamente, uma maratona para resolução de problemas. Na educação, podemos aplicar seus conceitos como forma de tornar os alunos agentes ativos no seu processo de aprendizagem. O interessante dessa metodologia é que pode ser aplicada a qualquer componente curricular e a qualquer faixa etária, observando as devidas especificidades.

– Primeiramente o professor deve apresentar um tema e um problema a ser resolvido. Em seguida, distribua post-its para que, individualmente, os alunos escrevam possíveis soluções (cada estudante poderá escrever mais de uma). Em seguida, peça que grudem os post-its em uma parede ou no próprio quadro.

– O próximo passo é analisar as possíveis soluções, dividi-los em grupos e deixar que cada time escolha em qual equipe trabalhará. Agora, é só deixar que eles criem seus produtos.

– Estabeleça um tempo limite para cada ação, o formato que deseja para a apresentação da solução final e seus critérios de avaliação. Crie um ambiente mais inspirador para esse momento.

– Quando todos os grupos terminarem, faça com que apresentem e defendam suas soluções. Traga pessoas de fora para ajudar na avaliação dos projetos: professores e alunos de outras turmas, coordenadores, equipe de apoio, quem sabe até especialistas da área trabalhada. Todos poderão sugerir melhorias nos projetos. Não esqueça: o feedback é de extrema importância para que ocorra o aprendizado.

Com essa atividade, os alunos desenvolvem habilidades como criação de projetos, criatividade e trabalho em equipe.

Idade ideal para aplicação da atividade: de 7 a 17 anos.

 

uma sala de aula com notebooks em cima da mesa

Os alunos do Colégio Marista Champagnat apresentaram o projeto durante a Mostra Cultural

 

5. Aula híbrida de Inglês Aprendendo o present perfect

 

Elaborado pela professora Lucimara Santos

 Esta atividade proporcionará aos alunos o aprendizado de forma colaborativa, com o qual eles terão a chance de aprender um conteúdo utilizando-se de estratégias diferenciadas, além de permitir que sejam protagonistas de seus aprendizados.

– Divida os alunos em seis grupos, que serão as seis estações. Em cada estação, haverá uma tarefa a ser desempenhada por eles em grupo. Serão seis atividades sobre o tempo verbal, com diferentes estratégias.

1. Estação Gaming: os alunos praticarão os verbos no particípio por meio do jogo de dominó, no qual os números serão substituídos por verbos (no infinitivo e particípio). O objetivo é encontrar o particípio dos verbos que estão no infinitivo, formando o dominó.

2. Estação Tecnologia: a partir de uma lista de verbos, os alunos ouvirão a pronúncia e a repetirão, com o objetivo de reforçá-la em novos verbos. O áudio utilizado é de um falante nativo, legitimando a pronúncia e a entonação.

3. Estação Teoria: os alunos terão um resumo do conteúdo em Língua Portuguesa e discutirão a utilização do tempo verbal, além de observar exemplos de uso e apontar as principais estruturas em inglês.

4. Estação Speaking: a partir de uma lista de perguntas em inglês, os alunos praticarão o uso da expressão “Have you ever…”. O objetivo é trabalhar a oralidade, além das respostas curtas, próprias de situações informais da língua.

5. Estação Mão na Massa: os alunos desenvolverão atividades escritas utilizando uma lista de verbos.

6. Estação Reading: a partir de uma notícia de jornal em inglês, os alunos farão a leitura, depois um resumo da notícia e apontarão frases com o present perfect. Eles também podem pesquisar os verbos utilizados (se são regulares ou irregulares).

Idade ideal para aplicação da atividade: de 13 a 16 anos.

Últimos posts