3 tendências para educação que serão essenciais em 2020

15 de janeiro de 2020

Postado por Microsoft Educação em Conteúdos Educacionais

Nesta época diversas conversas surgem sobre quais serão os principais tópicos deste ano. Separamos alguns tópicos para você já ficar atualizado

Pensando em todas as transformações que presenciamos na última década, podemos afirmar que a educação sofreu um grande processo de disrupção. Talvez a maior delas seja a inserção da tecnologia como um meio importante e essencial para a sala de aula e para o futuro dos alunos.

Como já dissemos aqui diversas vezes, mas vale sempre ressaltar, o perfil dos estudantes é completamente diferente dos que estudaram na década anterior. É preciso combinar atividades do dia a dia com tecnologia para que eles enxerguem a dinâmica da classe de forma mais atraente, pois estamos lidando com uma geração de pessoas que já nasceram conectadas e desconhecem um mundo sem ela. Se toda a vida dele fora da escola é permeada por isso, por que a sala de aula deve ser diferente? A tecnologia, sem dúvidas, mudou o dia a dia escolar nesses últimos 10 anos. Por isso, separamos abaixo algumas tendências que serão muito discutidas no mercado educacional este ano:

 

Professor mediador

No ano retrasado, apontamos o ensino personalizado como grande tendência para 2019. Segundo a pesquisa sobre a sala de aula de 2030, desenvolvida pela Microsoft em parceria com McKinsey, essa é uma premissa para esta década e a transformação do papel do educador tem ligação direta com isso. Além de incorporar novas metodologias de ensino, esses profissionais terão o papel de mediadores do conhecimento. Aluno e professor ensinam e aprendem de forma construtiva para que a criatividade seja mais aflorada e professores consigam fornecer feedback personalizado.


Habilidades socioemocionais

A relação entre a qualidade da aprendizagem e o bem-estar emocional dos estudantes está cada vez mais evidente. Segundo o estudo “Emoção e Cognição na Era da IA”, encomendado pela Microsoft e realizado pelo The Economist, à medida que a automação e a inteligência artificial redefinem o futuro do trabalho e das carreiras que conhecemos, as habilidades do ser humano são cada vez mais valorizadas. Para a pesquisa, foram entrevistados mais de 762 profissionais de educação de 15 países (incluindo o Brasil), e 80% deles acreditam que o bem-estar emocional é crucial para desenvolver base de conhecimento na fase escolar.

Criatividade, colaboração, resolução de problemas e inteligência emocional são competências extremamente valorizadas nas vagas de emprego, e a escola tem papel fundamental nesse desenvolvimento. “É função das instituições de ensino, especialmente com a BNCC, repensar seus currículos, de modo que o desenvolvimento cognitivo e o aprendizado de competências socioemocionais caminhem juntos”, afirma a professora Maura Marzocchi, uma das responsáveis pelo programa da startup Voa Educação.

 

Novas tecnologias

Como falamos acima, a tecnologia em si já se provou muitas vezes uma poderosa aliada da educação. Para 2020, estamos falando sobre novas possibilidades que ela pode oferecer a alunos e professores. A inteligência artificial é uma delas! Temos exemplos bacanas de instituições de ensino utilizando IA para análise preditiva, por exemplo. Com essa tecnologia a escola consegue prever quando um aluno pode abandonar a escola e também é capaz de identificar o interesse e desinteresse do aluno pelas aulas.

Análise de dados é outro tema que vem chamando a atenção. Algumas ferramentas são capazes de fornecer insights valiosos para melhorar o dia a dia escolar. Em 2019 tivemos um ótimo exemplo do Colégio Bandeirantes. Com a ajuda do Power BI, os professores têm acesso imediato a uma enorme quantidade de informações sobre suas turmas, como evolução de notas, desempenho em determinadas provas ou questões, comparações com anos anteriores, aprovação em vestibulares, frequência em disciplinas optativas e muitas outras informações.

Nossa pesquisa sobre a sala de 2030 também aborda a necessidade de inserção de novas tecnologias na sala de aula. A previsão do estudo é de que plataformas colaborativas, inteligência artificial e realidade mista serão ferramentas poderosas para lidar com as principais necessidades dos professores, incluindo:

– Transformar o tempo em sala de aula para focar em abordagens de aprendizagem personalizada;
– Ter insights na aprendizagem;
– Inclusão, ampliando as habilidades de todos os alunos;
– Oferecer experiências de imersão e multissensoriais que preparem os alunos para um envolvimento mais aprofundado.

Animados para 2020, professores?

Últimos posts